Telefone: (21) 2613-3633 / (22) 2645-4660   (21) 96011-8440
Após bloqueio de WhatsApp, site do TJ do Rio sai do ar

Portal não funciona desde as 13h desta terça-feira.

RIO - A polêmica em torno do bloqueio do WhatsApp fez o site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) sair do ar. A página na internet está fora do ar desde as 13h desta terça. Segundo fontes, o volume de acesso ao portal estava acima do normal, gerando instabilidade no acesso.

Em maio deste ano, com o bloqueio do aplicativo, hackers tiraram os sites do Tribunal de Justiça Sergipe, além da página da Justiça Federal, do ar. Na ocasião, hackers falaram, pelo Facebook, quer os sites ficariam fora do ar durante o mesmo prazo que o WhatsApp ficasse suspenso.

Os usuários do WhatsApp já começaram a identificar o bloqueio do serviço. As operadoras de celular começariam a bloquear o uso às 14h. Mas pouco antes já havia relatos na internet de imposibilidade de enviar e receber mensagens. A expectativa é que até as 15h o aplicativo esteja totalmente fora do ar.

O SindiTelebrasil, que reúne as prestadoras de serviços de telefonia móvel, receberam nesta terça-feira (19) intimação judicial e cumprirão determinação da Justiça para bloquear o aplicativo WhatsApp. "O bloqueio começou a ser feito no início da tarde de hoje', disse o SindiTelebrasil. A Oi informa que recebeu e cumpriu a ordem judicial.A Vivo disse que efetuou o bloqueio do serviço WhatsApp às 14h00 desta terça-feira, 19 de julho, em todo o território nacional. Já a Nextel informou que já foi notificada e cumprirá a decisão judicial que determinou o bloqueio do WhatsApp no Brasil. “Durante o bloqueio do app, o serviço de SMS da operadora será gratuito’, disse a companhia.

Na decisão em determinou a suspensão do serviço do aplicativo de mensagens WhatsApp em todo o Brasil, a juíza de fiscalização da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro Daniela Barbosa Assunção de Souza afirma que a empresa trata o país como "uma republiqueta" e critica o uso do inglês nas mensagens da empresa, afirmando que isso demonstra "total desprezo às leis nacionais". Ela lembra que a empresa possui filial no Brasil, está sujeita às leis e à língua nacional, e diz que indica tratamento do país "como uma republiqueta".

Fonte: http://oglobo.globo.com/economia/apos-bloqueio-de-whatsapp-site-do-tj-do-rio-sai-do-ar-19745603



Newsletter

Escritórios: